10/10/2018

Segredos e Mentiras - Diane Chamberlain


Cara Anna, Já comecei esta carta várias vezes e aqui estou, começando-a novamente, sem fazer a mínima ideia de como lhe dizer. A carta não terminada é a única pista que Tara e Emy têm para entender o que levou sua amiga Noelle ao suicídio. As três eram inseparáveis desde a faculdade e tudo a respeito de Noelle – seu trabalho de parteira, a forma como se dedicava apaixonadamente a diversas causas sociais, seu amor pelos amigos e a família – se encaixava na descrição de uma mulher que amava a própria vida.
Só que havia muitas coisas que Tara e Emy desconheciam. Por exemplo, quem é Anna e por que Noelle nunca a mencionara.

Com a descoberta da carta e do terrível segredo que a motivou, as duas começam a desvendar a verdade sobre essa mulher forte, independente e gentil que entrou em suas vidas trazendo amor e compaixão, mas que também pode ser a responsável por muitas tristezas e ilusões.

Com delicadeza e equilíbrio, Diane Chamberlain constrói uma história sensível sobre amizade e relacionamentos e levanta a pergunta: até que ponto você seria capaz de perdoar alguém que ama?

RESENHA:
10/10/2018

Primeiro quero dizer o quanto amei a escrita da autora. Até então eu nunca tinha lido nada dela, mas na ausência de mais lançamentos da Liane Moriarty eu estava carente de livros nesse estilo.
Escolhi pela chamada da capa –  "Uma mentira salvará uma família. A verdade destruirá outra. Qual você escolheria?" – e que livro impressionante!

Emy, Tara e Noelly são amigas da época da faculdade e uma sempre esteve presente na vida da outra.
Enquanto Emy e Tara estão casadas e com filhas, Noelly optou por uma vida sem filhos e solteira, apenas se dedicando à sua paixão: ser parteira como sua mãe.
Mas a vida dessas amigas mudam quando Noelly comete suicídio. Tara e Emy estão inconformadas que a amiga tão querida tenha tirado a própria vida. 
Noelly era saudável, não tinha problemas financeiros e tinha uma mão doente para cuidar, o que poderia ter acontecido na vida dela que a levasse à esse extremo? 
Dispostas à qualquer coisa que explicasse esse desfecho, as duas irão fazer de tudo para descobrir o motivo, já que a amiga não deixou nem um bilhete de despedida.
Quando Emy começa a esvaziar a casa de Noelly, ela encontra escondido em seus documentos uma carta chocante, porém não finalizada para uma tal de Anna. Ela mostra à carta para Tara e as duas começam a investigar a fundo a vida da amiga.
Só que assim que elas começam a cavar a intimidade de Noelly, muitos segredos irão surgir e elas vão perceber que não conheciam a amiga como imaginavam.
A vida delas irão girar em torno das mentiras e mistérios de Noelly e isso mudará a vida delas para sempre.

Os capítulos se alternam entre o presente nas narrativas de Emy e Tara e no passado de Noelly em terceira pessoa.
Mais para frente irão surgir outros narradores que acrescentarão mais fluidez à estória.
É um drama familiar muito envolvente e bem ágil. As primeiras páginas que envolvem o suicídio de Noelly são um pouco mornas mas assim que as amigas começam a investigar, a trama muda e ganha um novo ritmo.
Eu adorei esse livro, me envolvi completamente na vida dessas pessoas, não conseguia parar de ler enquanto não chegasse o final.
Foi uma mistura de sentimentos, raiva, compaixão, ansiedade, tristeza.... adoro quando a autora sabe conduzir uma estória com tantos altos e baixos e manter a atenção do leitor.
Eu super recomendo essa leitura, que não é leve, que deixa a gente com o coração na mão mas mesmo assim impossível largar e absolutamente arrebatadora.

Compre na Amazon

30/07/2018

E Viveram Felizes Para Sempre - Julia Quinn - [Os Bridgertons 9]



Alguns finais são apenas o começo...

Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos...

Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.

Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?

A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton.
Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro.

Comentário:
30/07/2018


Livro com segundos epílogos para cada um dos Bridgertons, porém desnecessário na minha opinião.
Os epílogos não acrescentaram nada de excepcional aos livros que foram finalizados de forma satisfatória para mim.
No entanto algumas exceções: O epílogo da Francesca foi o que mais me emocionou. Essa pequena continuação realmente fez diferença na estória do casal.
O que se refere ao casal Lucy e Gregory me deixou bem tensa, confesso. 
E por fim o conto da Violet que eu tanto esperava, valeu a pena. Finalmente ficamos sabendo como ele conheceu Edmund e como eles se apaixonaram... adorei!


P.S.: Acho que a irmã de Edmund é a protagonista de Uma Dama Fora dos Padrões, da série Os Rokesbys.

29/07/2018

Tempo de Segredos - Deanna Raybourn - [Lady Julia Grey Novel]




Porque onde tu estás, está todo o meu mundo."...que os ímpios sejam humilhados e calados fiquem no seu túmulo".
Estas palavras sinistras, tiradas de um livro dos salmos, foram a última ameaça que sir Edward Grey recebeu do seu assassino. Antes de poder mostrá-las a Nicholas Brisbane, o investigador privado que tinha contratado para se proteger, sir Edward caiu morto na sua casa de Londres, na presença da sua esposa, Julia, e de vários convidados. Embora ela estivesse convencida de que o marido tinha morrido em consequência de uma longa enfermidade, não hesitou em pedir ajuda ao enigmático Brisbane quando descobriu o papel onde figuravam aquelas palavras.
Tentando levar o assassino de Edward perante a justiça, Julia começou a seguir pistas que revelaram uma verdade ainda mais terrível... Umas pistas que a aproximavam de um criminoso que esperava a sua chegada com impaciência.


RESENHA:
29/07/2018

Eu tinha esse livro há muito tempo mas como é uma versão Português/Portugal, sempre o deixava pra depois.
Comecei a ler no escuro, sem saber absolutamente nada sobre a trama pois não tinha nenhuma resenha no Skoob mas a junção de thriller com romance de época foi o suficiente para despertar meu interesse de uma vez.

Durante uma festa na casa dos Grey, sir Edward passa mal em meios aos convidados e menos de uma hora depois está morto. Já era sabido que ele sofria de problemas cardíacos e morreria ainda na juventude, assim como seu pai e seu avô. 
Isso já acontece nas primeiras linhas e de imediato já me vi entretida na leitura. Também é nesse momento que Lady Julia conhece o enigmático Nicholas Brisbane, que ajuda a prestar os primeiros socorros.
Passado alguns dias, Nicholas procura Lady Julia para dizer que seu marido pode ter sido assassinado, pois sir Edward o tinha contratado para descobrir quem estava enviando cartas anônimas à ele. Como não tinha dado tempo de uma investigação, Nicholas se sente na obrigação de prestar esse último serviço mas a viúva se nega. Ela acha que o investigador está apenas se aproveitando da situação para arrancar algum dinheiro dela e o põe pra fora da sua casa.
Depois de muitos meses, Julia encontra uma carta anônima escondida entre as coisas do marido e procura Brisbane para ajudá-la mas ele a lembra que já se passou tempo demais e as pistas esfriaram. Com essa recusa ela decide investigar sozinha, forçando-o então a ajudá-la pois teme que ela coloque sua vida em risco.

À partir daí eles vão começar a trabalhar juntos e recolher pistas. Nicholas deixando-a afastada de situações perigosas e ela desobedecendo quase sempre seus conselhos.
Como percebi depois, não é um livro de romance arrebatador mas sim a construção de um relacionamento que muito futuramente irá acontecer.
Eu não sabia que era uma série quando li, só vim saber depois, mas se soubesse talvez não tivesse lido e iria perder uma ótima estória.
A trama é muito bem escrita, nada clichê, com diálogos bem escritos e personagens bem desenvolvidos. Os capítulos são curtos e sempre começando com frases de livro, como Shakespeare por exemplo.
Os personagens secundários também contribuem muito para a trama, não estão apenas para dar volume.
Apesar de estar numa versão de Portugal, não tive problemas para ler, apenas algumas palavras que tive que procurar o significado mas não atrapalhou em nada a leitura.
Eu amei a escrita dessa autora. Ela é criativa, a maneira como ela conduziu a trama é envolvente e adorei como ela desenvolveu cada personagem e suas funções dentro da estória.
O romance fica mesmo em segundo plano pois terá sequência nos livros seguintes, que infelizmente só tem na versão inglesa.
Na sequência da série conforme evolui o relacionamento dos protagonistas, vão também surgir outros crimes que eles desvendarão juntos.
Mas valeu muito a pena essa leitura, o suspense que envolve o assassino e a maneira que a autora transformou a estória, desvendando os mistérios que alguns personagens escondiam, foi excelente! Queria muito ler as outras estórias dessa série e também mais livros dessa autora.

Descobrir Deanna Raybourn só me fez perceber como sinto falta de tramas assim. Juntar meus dois gêneros favoritos num livro só, seria perfeito demais!
Quantos autores assim não estão escondido por aí?

Nota: 4,5

29/06/2018

Como Se Casar Com Um Marquês - Julia Quinn - [Agentes da Coroa # 2]


Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.

Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa.

Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual.

É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss.

Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada.

Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.

RESENHA:
29/06/2018

Nesse segundo e último volume de Agentes da Coroa enfim conheci a estória do James que eu tanto ansiava. Ele já era meu favorito no primeiro livro e por isso esperava uma grande estória pra ele, com aventuras dignas de um agente.
Mas que decepção eu tive! Fui com altas expectativas nesse livro e foi um balde de água fria.
Primeiro que ele como agente não teve função nenhuma e pelo nome da série era isso que eu esperava, no mínimo. Foi um personagem apagado que protagonizou cenas sem nenhuma surpresa ou emoção.

James é chamado pela sua tia Lady Danbury para descobrir quem é a pessoa que a está chantageando, por isso ele chega como administrador de fazendas. Ali ele conhece a encantadora Elizabeth, que trabalha há 5 anos para sua tia e logo um fica fascinado pelo outro.
Porém, Elizabeth precisa se casar com um homem rico e James por enquanto não pode se revelar pra ela enquanto não descobrir quem é o chantagista.
Nesse meio tempo nada de muito interessante acontece entre eles. Alguns passeios pelo jardim e encontros pela casa entre situações desastrosas com intenção de serem engraçadas.
Esperava mais de romance e a quantidade de coisas que me incomodaram durante a leitura, tirou qualquer prazer nela. Até mesmo Lady Danbury me cansou com sua bengala, pois suas participações eram sempre iguais.
Elizabeth parece ter menos juízo que sua irmã de 14 anos. Onde uma mulher de mais de 20 anos se tranca num quarto e é alimentada por 3 crianças?
Lady Danbury deveria pagar uma miséria pra moça, já que ela e os irmãos mal tem o que comer. E depois, quando que ela descobre a identidade do James, aquele monte de gente dando pitaco, se metendo e gato miando... céus, o que foi aquilo?
Mas vejam só, assim que terminei o livro e vi a quantidade absurda de 5 estrelas que esse livro recebeu, vi que o problema era comigo mesmo e essa estória não rolou pra mim definitivamente, então não levem em conta minha opinião.
Enfim, preciso urgente dar uma pausa nos romances de época, principalmente esses primeiros que a autora escreveu. Já até tirei os outros antigos da minha meta de leitura.
Vou dar um tempo até que sinta saudades desses romances novamente e ter mais disposição para o clichês que tanto gosto.

Nota: 3,5

06/06/2018

Era Uma Vez No Outono - Lisa Kleypas - [As Quatro Estações do Amor 2]



A jovem e obstinada Lillian Bowman sai dos Estados Unidos em busca de um marido da aristocracia londrina. Contudo nenhum homem parece capaz de fazê-la perder a cabeça. Exceto, talvez, Marcus Marsden, o arrogante lorde Westcliff, que ela despreza mais do que a qualquer outra pessoa.

Marcus é o típico britânico reservado e controlado. Mas algo na audaciosa Lillian faz com que ele saia de si. Os dois simplesmente não conseguem parar de brigar.

Então, numa tarde de outono, um encontro inesperado faz Lillian perceber que, sob a fachada de austeridade, há o homem apaixonado com que sempre sonhou. Mas será que um conde vai desafiar as convenções sociais a ponto de propor casamento a uma moça tão inapropriada?

RESENHA:
06/06/2018

Enfim, depois de dois anos que li o primeiro resolvi dar outra chance para as Flores Secas e conhecer a estória de Lillian e Marcus. Ainda bem por que é sem dúvida bem melhor que o primeiro, apesar da Lisa ter pecado em alguns pontos na minha opinião.

Lillian é chata. Ponto. Não sei o que acontece com as moças dessa série mas vai ver é por isso que ficaram tomando chá de cadeira. Achei a mocinha muito criançona, gosto quando as personagens são divertidas e provocam os mocinhos, mas quando o fazem por birra me irrita demais. Tem uma cena que ela quer montar à cavalo que define o que quero dizer.
Marcus é um homem sério, mais reservado. Não tem afinidade nenhuma com os pais mas se dá muito bem com as irmãs.
Os protagonistas se conhecem a bastante tempo mas não gostam um do outro e quando a família da Lillian vai passar um tempo na casa de campo do Marcus, a convivência vai aproximar os dois. Claro que vão bater boca, vão se alfinetar quase o tempo todo como qualquer outro romance clichê.
Gostei bem mais do Marcus que da Lillian, mas meu interesse maior na leitura era pelo St. Vincent. É mais o tipo que curto nos livrinhos de romance de época (só em livrinhos, diga-se de passagem), bem canastrão e libertino. 
Porém, no desenrolar da estória a autora pecou com esse personagem e acabou minhas expectativas. Agora ele retorna no terceiro volume e sinceramente tô bem curiosa pra saber como a autora vai "melhorar" esse personagem.
Um ponto negativo nesse livro foi a primeira noite dos dois. Sério, não me convenceu! Não combinou com o perfil do Marcus.

Mas no geral eu gostei da estória - mesmo com aquele final que achei muito forçado - pois ela flui rápida e tranquilamente.
Agora vou esperar um tempo para digerir o St. Vincent para depois ler o terceiro volume que dizem ser o melhor da série. Vamos ver ;-)