23 de mar de 2017

Codinome Lady V - Lorraine Heath - Os Sedutores de Havisham # 1


Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação.

Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas.

Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes.

Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.

RESENHA:
23/03/2017

Minerva é uma mulher muito à frente do seu tempo e por esse motivo ela afasta qualquer candidato à marido. Ela fala absolutamente tudo o que pensa e entende de assuntos que eram apenas permitidos aos homens discutir. 
Além disso, ela não chama a atenção pela beleza. Perto das outras mulheres da sociedade ela é uma moça muito comum, que passa despercebida nos bailes e eventos.
Porém, seu dote extremamente generoso atrai inúmeros cavalheiros oportunistas que querem tirar o pé da lama ou aumentar sua fortuna.
Depois de receber um pedido mais estranho que outro e no mínimo ofensivos, ela desiste de vez e se assume solteirona. Contudo ela quer conhecer os prazeres que um homem pode proporcionar e mais que tudo, quer ser desejada como mulher e não como fonte de dinheiro.
Então ela decide ir ao clube de mulheres Nightingale, lugar onde elas podem realizar suas fantasias, encontrar amantes e desfrutar da luxúria sem que ninguém saiba quem são, pois todas usam máscaras.
Logo de cara ela encontra o mais libertino de todos, o Duque de Ashebury, frequentador do lugar que imediatamente se sente atraído por ela. Estranho que para quem nunca havia notado a existência dela, ali de máscara ele se encantou.

6 de mar de 2017

BestSeller 148 - A Aposta - Suzanne Enoch [Trilogia Lessons in Love - livro 01]


Inglaterra,1862
Lição de amor

No passado, o notório visconde Dare seduzira Georgiana Halley e roubara sua inocência... somente para ganhar uma aposta! Mas agora ele iria pagar caro. O plano era simples: ela usaria cada artimanha sedutora que conhecia, com o intuito de conquistar o coração de Dare, para depois parti-lo! Porém, aqueles olhos azuis mais uma vez tentavam Georgiana a ceder ao desejo... e quando ele a surpreendeu com um pedido de casamento, ela hesitou: estaria Dare enganando-a de novo, ou dessa vez poderia ser amor verdadeiro?

RESENHA:
06/03/2017

Um dos melhores romances de época que já li até hoje!
Se você gosta desse gênero mas tem preconceito com livrinhos de banca, eu te aconselho à ler esse livro e depois me diga o que achou. Por favor!!
Ele não deve absolutamente nada à essas edições de livraria e ouso dizer que é muito melhor que alguns do gênero que andei lendo ultimamente.

A estória já começa com os planos de Georgiana para se vingar do visconde Dare. Há seis anos atrás ele roubou sua inocência para ganhar uma aposta e ela vem remoendo esse ódio desde então.
Agora que ele anda cortejando Amélia Johns, ela decide ser a hora de dar uma lição de uma vez por todas nesse libertino.

"— Escolhi este vestido pensando em milorde — Georgiana disse, alisando a saia. 
— Gostou mesmo? Dare não era tolo e, embora sua expressão não mudasse, ele recuou um passo. Georgiana não segurava o leque, mas o de Lucinda estava a seu alcance, caso ela pretendesse atacá-lo. 
— Gostei, sim, milady. — O exame minucioso de Dare a deixou com a estranha sensação de que ele sabia diferenciar seda e algodão. 
— Então, usarei este traje em seu enterro — Georgiana revelou, sorridente. 
 — Quem disse que será convidada? — Com um sorriso malicioso, ele se virou. — Boa noite, senhoritas. 

Oh, ele definitivamente precisava aprender uma lição!"

Então ela se muda de mala e cuia para a casa dele com a desculpa de cuidar de sua tia que sofre de gotas. Sua intenção é fazê-lo se apaixonar por ela para depois ela dar o troco!
Porém, desconfiado como ele só, já percebe que se trata de alguma artimanha da Georgie, já que ela há anos anda quebrando leques na cabeça dele.  
Ele é adorável e irresistível, o que não vai facilitar em nada a 'missão' dela.
A casa não é nada quieta. Fora as duas tias fofas de Dare, ele tem ainda mais 4 irmãos mais novos, sendo Robert - o protagonista do terceiro livro - um deles.
Eu amei a construção da estória, dos personagens. A autora soube conduzir de uma maneira leve que foi ganhando tanto minha atenção, como o coração cheio de rancor da protagonista. 
Adorei também o visconde, com seu bom humor e aquele ar conquistador, mas tão carinhoso e cuidadoso com a família.
O final é delicioso e tem uma cena entre eles escondidos que me arrancou risadas.

O livro é incrível! Cheio de diálogos e quase nada de narrativa, a autora criou um romance delicioso e muito divertido! A estória é ágil e nada enfadonha e terminei em pouco tempo.
Só me arrependo de não ter lido antes, pois estava há muito tempo na minha lista de leitura.
Amei a escrita da Suzanne Enoch e já quero ler os outros dois da série. 

Super recomendo!!!

Download Aqui

16 de fev de 2017

Simplesmente o Paraíso - Julia Quinn - Quarteto Smythe-Smith # 1


Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violinista ruim, ainda precisa melhorar muito…
 Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista.

Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão…
Porém não se sente tão confortável com a tarefa. Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente?

RESENHA:
16/02/2017

Taí um livro que eu achava que ia direto para a lista de favoritos dos romances de época. Achei que me apaixonaria por eles como foi com os Bridgertons, mas não foi isso que aconteceu infelizmente :(
O começo foi bem chatinho, páginas e páginas de nada que me prendesse à leitura e fui me arrastando com ele por muitos dias.
Acontece que - na minha humilde opinião - essa estória não teve nada de diferente, nada que me arrancasse suspiros, nada que me fizesse devorar as páginas.

É um romance bem morninho que, fora um acidente que os colocou juntos, não teve mais nada de interessante. 
Foram longas conversas entre o quarteto sobre músicas, discussões entre elas e muita narrativa sobre o que cada um dos protagonistas estavam pensando.
Não teve momentos hilários ou de paixão incontrolável. Marcus ao contrário da maioria dos mocinhos, não é abusado, nem atirado, nem libertino... nada contra né, mas talvez por isso faltou muita cena romântica entre eles, já que o protagonista é tímido.

Aquela graça das Smythe-Smith serem ruins nos livros dos Bridgertons, aqui não achei isso. Não consegui entender por que elas insistem em passar vergonha mesmo sem gostar de tocar.... não me convenceu.
O final foi gostoso, a maneira como ele a pediu em casamento eu achei muito fofa.
Vou continuar a série sim, claro! Mesmo por que o próximo é com o irmão da Honoria, me parece que de tímido ele não tem nada e fiquei bem curiosa com a estória dele.

A edição da Arqueiro está impecável nesses livros, eu amei!!

14 de fev de 2017

Julia 891 - Um Bebê A Caminho - Lauryn Chandler


Emily Gardiner queria um filho.
Estou ficando velha. Daqui a pouco não poderei mais ter filhos. Preciso fazer algo... e bem depressa. Mesmo que meu amor secreto de infância, Matthew Cárter, não tenha jamais levantado esse assunto, isso não significa que ele não possa ser o pai de meu filho. Tudo que preciso é de um médico, um tubo de ensaio... e o consentimento de Matthew.

Matthew Cárter queria Emily.
Não há possibilidade de eu fazer parte dessa família de laboratório de Emily. Se ela quer um filho, precisa de um marido. Emily sabe por que não quero me casar de novo. Mas é difícil acreditar que ela nunca tenha encontrado o homem certo. Emily seria a pessoa maravilhosa para fazer um marido feliz. E muito feliz.


Meu comentário:
14/02/2017

Faz muito tempo que tenho esse livrinho e folheando ele esses dias, o começo me deixou interessada. Ela sempre amou Matthew em segredo, mas ele se casou com a prima dela e o começo se trata do casamento deles.
Mas depois não passou mais de uma estorinha bem comum, sem nenhuma emoção.

Emily quer muito um filho pois já está com mais de 30 anos e agora que Matthew voltou pra cidade, ela decide pedir à ele que seja o doador e ele de imediato se recusa.
A estória se baseia em algumas conversas entre os dois, nada de namoro ou tensão.
Li em apenas algumas horas.

Download Aqui

4 de fev de 2017

O Conde Enfeitiçado - Julia Quinn - Os Bridgertons 6

Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.

Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele.

Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite.

Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz.

No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.

RESENHA:
04/02/2017

"E ele, que dormira com tantas mulheres, subitamente se deu conta de que nada fora até então além de um menino imaturo. Porque nunca tinha sido daquela maneira. Antes tinha sido o seu corpo. Aquilo era a sua alma."

Não tem como não se apaixonar pelos Bridgertons, pela escrita da Julia Quinn.
Eu amei esse livro e é um dos meus favoritos da série pelo seu diferencial: Aqui o protagonista é completamente apaixonado pela mocinha desde o primeiro dia em que colocou os olhos nela, mas infelizmente ela irá se casar com seu primo.

Francesca, que a gente conhece apenas como a filha viúva dos Bridgertons, se casa por amor com John Stirling, o conde de Kilmartin. Assim como seus irmãos, foi um casamento consensual, sem imposição das famílias.
Mas após 2 anos de perfeita união, ela fica viúva. Completamente sem chão, a única pessoa em que ela quer se apoiar é Michael, o primo do marido com quem ela tem muita amizade. Porém ela nem sonha que ele sempre foi apaixonado por ela e agora que John morreu, Michael fica desnorteado e decide ir embora.
Os três sempre viveram em harmonia e se entendiam perfeitamente, por isso Francesca não consegue entender esse afastamento do amigo.